Claras de Ovo

O que fazer com as Claras de Ovo que sobram?

PARTILHAR :

Share on facebook
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

Receitas de bolos e doces só com claras de ovo? Sim! e deliciosos! Aqui encontras a nossa lista de receitas, que está em permanente actualização, para aproveitar claras de ovo.

Lista de Receitas com Claras de Ovo:

(Esta lista está em permanente actualização)

suspiros coloridos

Suspiros Coloridos

Suspiros Coloridos são uma pequena (grande) tentação super fácil de fazer! Só precisas de claras de ovo e açúcar, corantes alimentares e missangas coloridas para

Ver receita
rochers de coco

Rochers de Coco

Rochers de Coco, são uma pequena delícia cheia de sabor! É outra daquelas receitas que pede ingredientes simples: coco ralado, açúcar e clara de ovo

Ver receita
bolinhos de mirtilo

Bolinhos de Mirtilo

Esta receita de Bolinhos de Mirtilo é rápida de confeccionar e o resultado são uns bolinhos leves, fofos e cheios de sabor! Além disto tudo

Ver receita
pavlova de oreo

Pavlova de Oreo

Pavlova de Oreo combina merengue de chocolate com cobertura de mascarpone e natas, polvilhado com cacau em pó e com muitas oreos à mistura. Uma

Ver receita

Porque razão nos sobram claras de ovo?

Tradicionalmente na confecção de bolos e doces em Portugal gastamos muito mais gemas do que claras de ovo. Resultado da herança que é a Doçaria Conventual Portuguesa, única no mundo 💙 

Para percebermos melhor como isto aconteceu, precisamos recuar um pouco no tempo e viajar até ao século XV, altura em que é introduzido em Portugal o açúcar (até aqui, o único adoçante que existia era o mel). Mas o que têm as claras de ovo a ver com isto?

As claras de ovo, eram então, a parte “nobre” do ovo, pois com elas se engomavam as batinas dos padres e as roupas dos homens ricos e finos, além de serem também utilizadas como elemento purificador na produção de vinho. Por muito incrível que isto possa parecer, naquele tempo, Portugal exportava claras de ovo para a Europa.

As gemas que sobravam, eram muitas vezes deitadas fora, ou dadas como alimento aos animais e muito embora já existissem receitas onde eram utilizadas as caldas de açúcar com diferentes pontos, as gemas e frutos secos da região pela corte portuguesa, é com a entrada de açúcar proveniente das colónias brasileiras, nos séculos XVI e XVII,  que se dá a enorme transformação e evolução daquilo que hoje conhecemos como Doçaria Conventual Portuguesa.

Naquela época, muitas mulheres da nobreza acabavam por ingressar nos conventos, muitas vezes não por sua vontade, mas porque assim lhes era imposto. Com elas era entregue o dote, que muitas vezes incluía uma ou duas criadas que já dominavam a arte de trabalhar o açúcar em ponto, bem como verdadeiras baterias de cozinha para garantir excelentes resultados para os banquetes de então. 

Tempo, era nesta altura o que estas mulheres e homens (estes em menor número) tinham de sobra para aprimorarem estas iguarias, consideradas verdadeiros tesouros e guardados em segredo, sendo a maioria das vezes passados só oralmente o que deu origem a que existam, por vezes, diferentes versões para a mesma receita, influenciando também a área territorial do  país em que essa receita foi passada. 

Até meados do século XVIII, as Ordens Religiosas em Portugal, viviam fechadas em si mesmas num regime de abundância. Este paradigma muda quando é decretada a sua extinção e freiras e monges vêem-se obrigados a angariar dinheiro para se conseguirem sustentar. Uma das formas encontradas foi a venda das suas deliciosas iguarias, e as receitas que até então circulavam somente nos mosteiros começam a ser partilhadas cá fora como forma de agradecimento às famílias que os acolheram, ainda que permaneçam muitas delas em segredo como é o caso dos Pasteis de Belém.   

Diz o ditado que “o que é doce, nunca amargou” e os doces conventuais, além de permanecerem na nossa cultura gastronómica até aos dias de hoje, foram ponto de partida para muitos dos doces que hoje consumimos e que fazem parte do nosso dia a dia.  Esta é a razão pela qual nos sobram claras de ovo, sendo hoje a gema a parte “nobre” e invertendo assim o processo criativo de novas iguarias para a utilização da clara de ovo.

Nesta lista, encontrarás algumas das nossas receitas preferidas confeccionadas somente com clara de ovo. Prepara-te para lamber os dedos pois vais encontrar receitas para todos os gostos! De gelados a bolos, passando pelas pavlovas, já para não falar em macarons!!! achamos que conseguimos gastar as claras de ovo que vão ficando de outras confecções.

Se há um doce, bolo ou sobremesa que queiras ver nesta lista, deixa-nos aqui a tua sugestão e quem sabe na próxima visita a encontras por aqui.

Quando confeccionares estas receitas,
partilha connosco o resultado 😍
Para podermos ver, identifica-nos:

@pastelaria.online no INSTAGRAM
@escola.pastelaria no FACEBOOK

Referências:

Virgílio Nogueiro Gomes Doces Conventuais

Jornal das Caldas Origem dos Doces Conventuais

Beijinho doce e Bons Bolos 🧁

Receitas no teu email?

Subscreve a nossa newsletter e recebe todas as novidades quando ainda estão quentinhas.

Ocorreu um erro ao realizar a tua inscrição, por favor tenta novamente.
A tua assinatura foi realizada com sucesso.


Aceita a utilização de cookies e concorda com a política de privacidade deste site?